José António de Bellegarde Belo Conceição

n: 19 Março 1953
  • Nascimento: 19 Março 1953
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

João Maria da Conceição1

Citações

  1. Website Geneall (http://www.geneall.net).
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

João Maria Henriques Belo Conceição

  • Nascimento:
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

João Nuno de Bellegarde Belo Conceição

n: 13 Março 1942
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Júlia Amélia da Conceição

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Dr. Júlio d'Almeida Conceição

n: cerca de 1875

Familia: Maria Cássia Monteiro n: c 1875

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Lino António da Conceição

n: 26 Novembro 1898, f: 23 Outubro 1974

Foto de Ricardo
  • Nota: Após ter frequentado o atelier do seu professor e amigo Narciso Costa e depois de uma rápida passagem pela Escola de Belas Artes de Lisboa, matriculou-se, em 1915 na Escola de Belas Artes do Porto, na qual foi discípulo de João Marques d'Oliveira. Inaugura, em Leiria, a sua primeira exposição individual no ano de 1918, datando de 1924 a I Exposição Individual na Sociedade Nacional de Belas Artes de Lisboa. Do texto do catálogo, da autoria de Américo Durão, retira-se "... Corre em seu sangue o ritmo e a fascinação do Mar... A gente do mar encanta-o pela esbelta e forte beleza plástica dos seus corpos.. . ". Participa, em 1925, no I Salão de Outono, após o que colabora na remodelação do Bristol Club.

    A primeira fase da sua obra revela a sua ligação a valores regionais, nomeadamente títulos como "Pescadores", "Nazareth", "Leiria", obras expostas em 1930 (Colectiva da S.N.B.A.), ou ainda, fazendo parte do acervo do Museu de Arte Contemporânea, "Na Fonte" (1933), "Peixeirinhas" (1938), "Ceifeiras" (1943) e "Ameixoeira" (1944).

    Ainda na década de 1920 casa-se com Maria Helena de Noronha Tudela e participa na Exposição Ibero-Americana de Sevilha. Ganha medalhas de honra em Sevilha (1929) e Paris (1932). Obtém em 1943 o prémio Rocha Cabral.

    Após 1930, participa, no I e II Salão dos Independentes, na Exposição Colonial de Paris e no Salão de Inverno de 1932. Já em 1935 figura na Exposição do Secretariado Nacional de Informação. Em 1938 realiza o friso para a sala do Presidente da Assembleia Nacional, pinta os frescos do arco triunfal e da varanda do coro da Igreja de Nossa Senhora de Fátima, ilustra o livro Amadis, de Afonso Lopes Vieira, tal como para La Jeunesse Portugaise à l'École, obra de António Mattoso (1939). Em 1940 participa na Exposição do Mundo-Português e começa a leccionar na Escola de Artes Decorativas António Arroio. Em 1944 realiza a II Exposição Individual para o Secretariado da Propaganda Nacional, sendo estendida a duração do evento, devido ao sucesso que obteve junto do público. Assina, em 1945, os vitrais para a Casa do Douro, em 1946 os vitrais da Capela do Colégio das Escravas do Sagrado Coração de Jesus.

    Escreve, em 1949, uma petição ao Ministro da Educação Nacional solicitando a realização de provas que lhe permitissem terminar o Curso Superior de Pintura, obtendo a respectiva Carta de Curso a 15 de Julho desse ano. Ligado aos movimentos modernos, serve-se dos valores estéticos que mais adequados se mostram ao seu estilo, maneira de ser e sensibilidade, na composição de obras de largo sentido decorativo, formas robustas e cores vibrantes, de um figurativismo sólido e arquitectónico, anunciador do futuro pintor de murais.

    De acordo com a tendência anunciada Lino António dedicar-se-á de uma forma cada vez mais exclusiva à realização de obras murais e irá tomar-se um apaixonado cultor de artes decorativas, afirmando-se como vitralista e mosaicista excelente.

    Trabalha para igrejas de Lisboa, Vila Viçosa, Almada, Lamego. Executa para o Santuário de Fátima uma série monumental de painéis de cerâmica policromada, com a colaboração do pintor Querubim Lapa e do ceramista Manuel Cargaleiro.

    Ainda em 1949, executa os frescos e vitrais do Salão Nobre da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, realizando obra semelhante na Câmara Municipal da Covilhã, em 1957. Em 1952 realiza o painel cerâmico para o átrio principal do LNEC. Executou os painéis de cerâmica para a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa em 1957 e em 1958 para o Pavilhão do Corpo de Alunos do Colégio Militar e para o Instituto de Higiene e Medicina Tropical. É autor, em 1959 da Tapeçaria Olisipo, realizada para o Hotel Ritz, em Lisboa. Em 1961 realiza os vitrais para o grande pórtico da Aula Magna e pinta, em 1966 os frescos para o átrio principal da Biblioteca Nacional e os vitrais para o Tribunal de Seia.

    Está representado no Museu de Arte Contemporânea (Chiado), C.A.M., Museu Soares dos Reis (Porto), vários museus regionais e colecções particulares.

    Como Metodólogo e Pedagogo é professor de Pintura e Desenho no ensino técnico e director da Escola de Artes Decorativas de Lisboa (actual Escola António Arroio). Aqui realiza um trabalho importante de modernização curricular, adaptando a Escola às necessidades naturais que o processo evolutivo da vida e da cultura exigem. Para concretizar este objectivo foi sua preocupação reunir um corpo docente de qualidade que tomou a Escola António Arroio respeitada e amada, espaço de iniciação de sucessivas gerações de artistas. A importância da sua acção revela-se ainda na memória viva daqueles que hoje continuam a sua obra na actual António Arroio.

    Por imposição do limite oficial de idade, aposenta-se do ensino em 1968, ficando impedido de continuar a dirigir a Escola António Arroio.

    Morreu em 1974, vítima de um acidente vascular quando se encontrava a trabalhar no seu atelier na pintura Mercado

    Por deliberação camarária de 4 de Janeiro de 1982, o seu nome foi atribuído a uma rua de Leiria.
  • Nascimento: 26 Novembro 1898; Leiria, Leiria, Leiria; (ADLeiria, Leiria, Sé, Baptismos, Liv 1899, fl.4, nº 9)
  • Casamento: Principal=Maria Helena de Noronha Tudela
  • Falecimento: 23 Outubro 1974; Lisboa, Lisboa

Familia: Maria Helena de Noronha Tudela n: 26 Jun 1907, f: 1993

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Lino António da Conceição

n: 21 Julho 1869
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Lucila da Conceição

n: 1896
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Manuel António da Conceição

n: 12 Maio 1822
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Manuel António de Bellegarde Belo Conceição

n: 25 Março 1946
  • Nascimento: 25 Março 1946
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Margarida Barros da Conceição

n: 1900
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Maria Madalena Barros da Conceição

n: 1911
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Maria Bento Belo Conceição

n: 9 Maio 1966
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Maria Carolina Luisa da Conceição

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Maria Clara Bento Belo Conceição

n: 20 Dezembro 1967
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Maria Cristina Bento Belo Conceição

n: 12 Maio 1965
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Maria da Conceição

Familia: João Eufrásio n: 20 Jul 1882

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Maria de Ajuda dos Santos Conceição

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Maria Helena Tudela da Conceição

n: 17 Maio 1934, f: 7 Novembro 2007
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"