António Francisco Crespo

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

António Francisco Crespo

n: 14 Outubro 1789
  • Nascimento: 14 Outubro 1789; Marinha Grande, Marinha Grande, Marinha Grande; (ADLeiria, Baptismos, Marinha Grande, N S do Rosário, 1812-1818, fl. 88 (re-inscrição a 11.1 1815)).
  • Nota: 15 Julho 1816; Admitido como franciscano (de coro) (Inquerito de genere da Ordem dos Franciscanos Menores, Provincia de Portugal, maço nº 1 )
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

António Francisco Crespo

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Cap. António Francisco Crespo1

f: 30 Maio 1812

Familia: Luísa Inácia do Sacramento Silva f: 24 Mai 1813

Citações

  1. Luís Lourenço Regueira de Pontes, a sua história e as suas gentes, Ed. do autor, Leiria, 1ª ed. (2007) fonte deconhecida isbn.
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Dr. António Lúcio Tavares Crespo1

n: 3 Janeiro 1838, f: 21 Janeiro 1905

Citações

  1. Maria Filomena (Coord.) Monica Diccionário Biográfico Parlamentar, 1834-1910, Assembleia da República, (2004).
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Dr. António Manuel da Silva Crespo

n: cerca de 1787, f: antes 1869
  • Nota: Conselheiro do Distrito (várias vezez vereador da CM de Leiria) e saiu bacharel em Cânons, por Coimbra a 10.6.1812 e tera chegado a juiz de fora na Golegã e em Castelo Branco. (Leitura de Bachareis (1814, maço 40, nº 36). A lista dos maiores agricultores do município de Leiria de 1852, apresenta-o como residente em Regueira de Pontes, tendo chegado a ser convidado para Governador Civil, segundo consta nas actas da sesão da Cãmara de 18 de Maio de 1846 ("... visto estar ausente o Conselheiro do Distrito António Manuel da Silva Crespo, e ignorar-se se o referido Conselheiro se achava em Alcobaça ou em Regueira de Pontes se lhe dirigisse um ofício convidando-o a vir exercer o lugar de Governador Civil, como lhe compete na conformidade da Lei na qualidade de Vogal mais velho e efectivo do Conselho do Distrito, visto que o que actualmente se acha servindo o dito cargo é substituto" . em Anais, Vol II, pag 173).

    Aparece inscrito na Confraria das Almas e do Santíssimo Sacramento de Regueira de pontes, como seu irmão Manuel António.



    .
  • Nascimento: cerca de 1787; Regueira de Pontes, Regueira de Pontes, Leiria
  • Nota: entre 1805 e 1806; Matriculas na Univ de Coimbra
  • Nota: 14 Junho 1810; Univ. de Coimbra, Coimbra, Coimbra; Bacharel em Cânones
  • Nota: 10 Junho 1812; Univ. de Coimbra, Coimbra, Coimbra; Formado em Cânones
  • Nota: 13 Março 1818; Carta. Lugar de Juiz de Fora da Vila da Golegã.     (Registo Geral de Mercês, D.João VI, liv.13, fl.308v)
  • Nota: 10 Outubro 1823; Carta. Lugar de Juiz de Fora da cidade de Castelo Branco. (Registo Geral de Mercês, D.João VI, liv.17, fl.189)
  • Nota: 16 Dezembro 1826; Carta. Juiz de Fora da cidade de Castelo Branco.(Registo Geral de Mercês, D.João VI, liv.22, fl.196)
  • Nota: 18 Maio 1846; Foi convidado para Gov Civil de Leiria (Anais do Município de Leiria, de joão Cabral, Vol II, pag 173)
  • Falecimento: antes 1869; Quando da celebração de escritura de reconhecimento de um foro em Ataíja de Cima, s a 5 de fevereiro de 1869, já compareceram como suas herdeiras as suas irmãs Ana Joaquina e Maria Inácia ( doc elaborado no notário Libório de Alcobaça)

Familia:

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Artur Faustino dos Santos Crespo

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Bacharel Aurélio Álvares d'Almeida Crespo

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Carlota Adelaide Tavares Crespo

n: 23 Janeiro 1843, f: antes 1894
  • Nascimento: 23 Janeiro 1843; S. Sacramento, Alcobaça, Alcobaça; (AdLeiria, Alcobaça, S. Sacramento liv 1837 - 1860, fl. 40)
  • Baptism: 23 Fevereiro 1843; S. Sacramento, Alcobaça, Alcobaça; Foram padrinhos doo Bispado da Guarda Jacinto Anónio Crespo e a tia paterna Gertrudes Magna Crespo (AdLeiria, Alcobaça, S. Sacramento liv 1837 - 1860, fl. 40)
  • Falecimento: antes 1894; A 28.8.1894, em anuncio publicado no Diario do Governo, o Juiz de Direito A. Jardim publica um aviso para quem se julgue habilitado à herança dela, nomeadamente a "inscrições" da Junta de Credito Publico, por requerimento de sua irmã inventariante e cabeça de casal Amelia Peregrina Tavares Crespo
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Cap. Francisco Manuel da Silva Crespo

f: 3 Janeiro 1832
  • Nota: 29 Novembro 1812; Regueira de Pontes, Regueira de Pontes, Leiria; Capitão de Ordenanças de Regueira de Pontes e suas anexas, termo de Leiria por morte de seu pai António Francisco Crespo.

    No AHM consta do Livro Antigo de Registo de Patentes N.º 1868.
  • Nota: 2 Julho 1814; "pegou nas varas do Pálio" durante uma procissão na cidades, segundo decisão da Câmara Municipal de Leiria desta data
  • Nota: 15 Junho 1828; Capitão de Milicias no Batalão de Leiria1
  • Falecimento: 3 Janeiro 1832; Regueira de Pontes, Juncal, Leiria; (ADLeiria, Leiria, Regueira de Pontes, Óbitos, Liv 1776-1851, fl 198v)
  • Enterro: 4 Janeiro 1832; São Sebastião, Regueira de Pontes, Regueira de Pontes, Leiria; Foi enterrado na Igreja paroquial

Citações

  1. Luís Lourenço Regueira de Pontes, a sua história e as suas gentes, Ed. do autor, Leiria, 1ª ed. (2007) fonte deconhecida isbn.
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Gertrudes Magna Crespo

n: 22 Abril 1797, f: 1 Agosto 1861
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

José Charters Crespo

n: 15 Julho 1844, f: 3 Janeiro 1904
  • Nome alternativo: Dr. José Maria Crespo Júnior
  • Casamento: Casado(a) com=Henriqueta Philips
  • Nascimento: 15 Julho 1844; Sé, Leiria, Leiria; (ADLeiria, Leiria, Sé, Baptismo fls 16 e 16v)
  • Baptism: 7 Agosto 1844; Sé, Leiria, Leiria; Foi padrinho D. José Filipe da Câmara, Governador Civil de Leiria e Maria Violante Soares Barbosa casada com José Faria Gomes de Oliveira , sua tia avó (ADLeiria, Leiria, Sé, Baptismo fls 16 e 16v)
  • Morada: Batalha, Batalha, Batalha
  • Nota: entre 1862 e 1863; Matrículas na Universidade de Coimbra.em Filosofia. Formou-se em Direito
  • Nota: 28 Abril 1865; Auto de posse a favor de José Maria Crespo de dois pedaços de terreno expropriados ao Convento de Santa Ana de Leiria, passados pelo escrivão da Fazenda, Joaquim Ferreira de Sousa. (PT-ADLRA-CSALRA/4/9)
  • Nota: 1874; Era enfiteuta de um olival no Casal Merendão
  • Nota: 11 Maio 1888; Carta de Comendador Ordem Militar de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa (Belard da Fonseca, "Ordem Militar de N S da Conceeção de Vila Viçosa", Ed da Fund Casa de Bragança, 1955, pag 91)
    (Registo Geral de Mercês, D. Luis I, liv 43, fl 290v)
  • Nota: 19 Maio 1888; Lisboa; no Notário Jorge Filipe Cosmel (1º CartórioNotarial de Lisboa) a fls 88v do livro 277 e seguinte doação da Quinta do Landal a sua noiva Henriqueta Philips
  • Falecimento: 3 Janeiro 1904; Santiago do Chile; Morre á uma hora e um quarto por conta de um ataque cerebral
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Dr. José Francisco Crespo

f: 1824
  • Nota: Grande proprietário na Marinha Grande
  • Nascimento: Milagres, Bidoeira, Leiria
  • Casamento: Casado(a) com=Maria Joaquina [...]
  • Falecimento: 1824; Marinha Grande
  • Nota: 9 Dezembro 1842; Escritura de venda de uma fazenda, no sitio do Jardim, Marrazes que fizeram Augusto Midões e mulher Maria Ângela Midões, de Leiria, a José Francisco Crespo e Manuel Francisco Crespo, de Leiria. (     PT-ADLRA-CSALRA/12/114)
  • Nota: 24 Março 1843; Reconhecimento de directo senhorio que fizeram José Francisco Crespo, Manuel Francisco Crespo e mulheres ao Convento de Santa Ana de Leiria e novo aforamento que este fez aos referidos enfiteutas. (PT-ADLRA-CSALRA/12/121)

Familia: Maria Joaquina [...]

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

José Luís Pereira Crespo

n: 3 Junho 1828, f: 7 Janeiro 1908
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Cor. José Maria Crespo

n: 17 Agosto 1793, f: 19 Maio 1857
  • Nota: Coronel Comandante do Batalhão Nacional de Leiria nos Corpos Nacionais de Infanteria (AHM, Livro de Quartel Mestre, Lista dos Oficiais, A-16-9-16). Um dos capitaes era o seu cunhado Roberto Charters e um outro era o tablião de Leiria Ireno Roberto Dias.
    Foi Ten Cor do Batalhão Móvel de Leiriaonde combateu contra D. Miguel durante a guerra civil.1
  • Casamento: Casado(a) com=Maria Margarida de Sousa
  • Nascimento: 17 Agosto 1793; Marinha Grande, Marinha Grande, Marinha Grande; (ADLeiria, Baptismos, Marinha Grande, 1812-1818, fl. 88v (re-inscrição)
  • Baptism: 18 Agosto 1793; Marinha Grande, Marinha Grande, Marinha Grande; (ADLeiria, Baptismos, Marinha Grande, 1812-1818, fl. 88v (re-inscrição)
  • Nota: 1823; Vivia no Casal da Formigueira. em 1817 tambem
  • Nota: 31 Dezembro 1825; Demitido pelo requerer, alegando motiveis atendíveis, quando era Capitão do Regimento das Milícias de Leiria2
  • Nota: 1 Julho 1834; Nesta data elabora uma relação nominal de oficiais, oficiais inferiores e aspirantes do Batalhão Nacional Móvel de Leiria, referente ao 1.º semestre de 1834, assinada por ele, tenente coronel José Maria Crespo, comandante do batalhão( AHM/DIV/3/21/1/25).
  • Casamento: 28 Julho 1843; Leiria, Leiria, Leiria; (ADLeiria, Leiria, Leiria, Lv., 2-D/24, fls 21); Casado(a) com=Bárbara Rita Charters
  • Nota: 13 Novembro 1845; Transacção que fez o Convento de Santa Ana de Leiria com José Maria Crespo, de Leiria.(PT-ADLRA-CSALRA/12/129)
  • Nota: 10 Novembro 1852; Comendador da Ordem Militar de N S da Conceição de Vila Viçosa
  • Falecimento: 19 Maio 1857; Sé, Leiria, Leiria; ADLeiria, Óbitos, Leiria, Sé, fl. 203

Familia: Bárbara Rita Charters n: 25 Jan 1827, f: 27 Fev 1883

Citações

  1. Maria Filomena (Coord.) Monica Diccionário Biográfico Parlamentar, 1834-1910, Assembleia da República, (2004).
  2. Cor H. Madureira dos Santos Catalogo dos Decretos do extinto Conselho de Guerra - na parte não publicada pelo Gen Cláudio de Chaby -, Arquivo Histórico Militar, (1964).
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Dr. João Francisco Crespo

n: 13 Outubro 1799, f: 27 Janeiro 1866
  • Nascimento: 1799; Arquivo da Universidade de Coimbra, Livro de Certidões de Idade - 1772 - 1833 - IV-1ªD-5-2-20 - fl. 87, 87 v e seguinte .
  • Baptism: 13 Outubro 1799; Marinha Grande, Marinha Grande, Marinha Grande; Arquivo da Universidade de Coimbra, Livro de Certidões de Idade - 1772 - 1833 - IV-1ªD-5-2-20 - fl. 87, 87 v e seguinte .
  • Graduation: 1810; Deve ser outro com o mesmo nome : Medico em Regueira de Pontes indicado no registo de obito: no livro de óbitos a seguinte notícia:
    "Aos vinte dias do mês de Julho de mil oitocentos e dez anos foi enterrado dentro desta paroquial Igreja de Regueira de Pontes o Tenente Coronel Joaquim José de Almeida casado que era com D. Leocádia Severa dos Santos Alves, morador no lugar do Juncal desta freguesia. Recebeu os sacramentos da Penitência e o Sacro Viático e não recebeu o da Santa Unção porque quando o sacramentei me disse o médico João Francisco Crespo que ainda não precisava dela... etc."
  • Nota: 25 Maio 1819; Univ. de Coimbra, Coimbra, Coimbra; Matricula em Teologia no 1º ano
  • Nota: 31 Outubro 1822; Colégio das Artes, Coimbra, Coimbra; Matricula em gramatica grega no Colégio das Artes
  • Nota: 4 Setembro 1830; Medico em Alcobaça. "Veio preso de Leiria . Em 17 de Novembro de 1830 forão-lhe assignados 5 dias para dizer de facto e Direiro. Em 31 de Janeiro de 1831 se lhe julgou espiada a culpa com a prisão que tinha sofrido desde Setembro de 1928 e foi solto a 10 de fevereiro de 1831. (Collecção de Listas que contem os nomes das pessoas, que ficarão pronunciadas nas devassas, e summarios, a que mandou proceder o Governo Usurpador depois da heroica contra-revolução, que arrebatou na mui nobre, e leal Cidade do Porto em 16 de Maio de 1828, nas quaes se faz menção do destino, que a Alçada, creada pelo mesmo governo para as julgar, deu a cada uma dellas, ...pelo Bacharel Pedro da Fonseca Serrão Velozo, Porto, 1833)
  • Casamento: 26 Abril 1835; Capela episcopal, Sé, Leiria, Leiria; A cerimónia foi na capela do Paço episcopal (o que era pouco comum. (ADL, Paróquia da Sé de Leiria, Casamentos, Liv 1821 - 1839, fl. 108v); Casado(a) com=Carlota Adelaide Tavares Pimentel
  • Falecimento: 27 Janeiro 1866; Alcobaça

Familia: Carlota Adelaide Tavares Pimentel

Citações

  1. Maria Filomena (Coord.) Monica Diccionário Biográfico Parlamentar, 1834-1910, Assembleia da República, (2004).
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Dr. João Francisco da Silva Crespo

n: 17 Outubro 1782, f: 25 Agosto 1836
  • Nascimento: 17 Outubro 1782; Regueira de Pontes, Regueira de Pontes, Leiria; (ADLeiria, Leiria, Regueira de Pontes, Óbitos, Liv 1812-1816, fl. 28)
  • Nota: 21 Maio 1834; Decreto de nomeação de Sub-Prefeito da comarca de Leiria.     (Registo Geral de Mercês, D.Maria II, liv.1, fl.205v-206)
  • Nota: 18 Junho 1834; Era subprefeiito da Comarca de Leiria e nessa qualidade assina oficio referente a extinção do Convento do Bom Jesus dos religiosos Agostinhos da Villa de Porto de Mós1
  • Nota: 18 Julho 1835; nomeado Governador Civil em 18.7.1835, conforme Diário do Governo, nº 193 de 17.8.1835, mas já "subperfeito desta cidade de Leiria e comarca em data de Maio do corrente ano" como se vê do auto de posse de 3.6.1834, lançado no livro de actas nº 4 da Câmara Municipal de Leiria.
  • Nota: 25 Julho 1835; foi Governador Civil em 25 de Julho de 1835. Não parece ser este médico aquele que é referido num assento de óbito a 20.7.1810 de um Ten Cor que morreu no Juncal, pois nesta data não teria data para ser médico.
  • Falecimento: 25 Agosto 1836; (ADLeiria, Óbitos, Leiria, Leiria, Liv. 1934-49, fl. 35)

Familia:

Citações

  1. Saul António Gomes Porto de Mós - Colectânea Histórica e Documental, Sex XII a XIX, Município de Porto de Mós, (2005) "pag 1047."
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Júlia das Dores da Silva Crespo

n: 21 Novembro 1827, f: 7 Janeiro 1910

  • Nota: Senhora um pouco esquecida ou quase desconhecida, nasceu em 21 de Novembro de 1827, na freguesia de Nossa Senhora do Pópulo, filha de pais incógnitos, ao que reza o assento de baptismo. O assento de óbitos regista que faleceu em Regueira de Pontes, a 7 de Janeiro de 1910, com 82 anos. A ela se deve boa parte da igreja de Regueira de Pontes e, em grande parte, o convento e igreja dos Franciscanos, à Portela, em Leiria.
    Aquele assento de óbito acrescenta uma nota singular: "filha natural, consta, do doutor médico João Francisco da Silva Crespo, natural deste lugar e freguesia [de Regueira de Pontes] e de mãe incógnita". O Dr. Luís Lourenço, no seu livro "Regueira de Pontes e as suas gentes" (Leiria: ed. do autor, 2007, p. 374B), escreve sobre João Francisco da Silva Crespo: "Foi este que trouxe de Caldas da Rainha D. Júlia das Dores da Silva Crespo, baptizada na Igreja de Nossa Senhora do Pópulo." E acrescenta: "O Dr. João Francisco da Silva Crespo nasceu em 1795, pelo que teria, em 1810, apenas 15 anos, e faleceu em Agosto de 1836, com a idade de 41 anos, como aliás sempre ouvimos dizer, deixando a filha adoptiva, com a idade de 7 ou 8 anos, entregue às suas duas tias (…)." Fica, pois, em dúvida: se era "filha de pais incógnitos", como indica o assento de baptismo; se era "filha natural, consta, do doutor médico João Francisco da Silva Crespo", como se lê no assento de óbito (o mais verosímil); ou se era apenas "filha adoptiva"
    Seja como for, acrescenta o Dr. Luís Lourenço, "em Regueira de Pontes viveu com as duas tias, irmãs de seu pai, as quais lhe deixaram uma incalculável fortuna, que soube repartir pelos pobres e pela Igreja".
    Possuindo casa na cidade de Leiria, onde vivia esporadicamente, foi em Regueira de Pontes que passou a maior parte da sua vida, sempre solteira, e onde construiu uma grande mansão e cómodos agrícolas e pecuários de dimensão equivalente.

    Teve um papel crucial no acabamento e decoração da igreja de Regueira de Pontes. Na 2.ª edição do Couseiro, de 1898 (transcrição Textiverso, 2011, p. 190), pode ler-se o seguinte: "No dia 24 de Dezembro último, tinha falecido o membro da irmandade Crespos, e nele mesmo toda a colossal fortuna dessa opulenta família veio ter, por herança, às mãos e domínio da sr.ª D. Júlia das Dores da Silva Crespo, vizinha dessa igreja (…). Essa sr.ª D. Júlia manifesta a sua piedade, prontificando o seu dinheiro [para as obras da igreja] (…)." E lê-se mais: "Ora, agora a torre do sul já existia, bem como o frontispício, e a outra já estava edificada até ao beirado (tendo porém agora, nos dizem, recebido por dentro paredes de reforço), sendo só agora acabada. Porém, tudo mais que a igreja oferece à vista por dentro, ou seja, de madeira, como altares (5), gradinhas, portas, soalhos, lajeamentos (que não são de madeira), seja de gesso, como o tecto e suas colunas fingidas, sejam pinturas a óleo, ou objectos dourados, como esse altar-mor, etc., são obras de agora, bem como dois sinos e relógio, a que acrescentamos algumas alfaias de prata e esses paramentos; tudo pago à custa dessa Senhora e sem contar as madeiras vindas dos seus pinhais." Estamos na década de 80 do século XIX, e quando se perguntou a D. Júlia qual a quantia de dinheiro que então gastou com a igreja, "passados dias respondeu que, se não chegou a 11 contos de réis, pouco lhe faltou!! É que essa senhora, propondo-se a revestir a sua igreja, não o fez com esse grosseiro e escasso fim com que se socorre a donzela pobre; revestiu-a de sobejas sedas e carregou-a de galas e jóias, e por isso com magnificência, como se fosse uma rainha pronta a aparecer ao público".
    Na parede exterior da igreja está uma lápide com um texto em latim que significa o seguinte, segundo o Couseiro: "Tendo a sr.ª D. Júlia das Dores da Silva Crespo sido tão benéfica para com este templo, que, achando-se ele já mal seguro em razão da sua muita idade (67), reparou-o, e com vantagem para ele, à sua custa, depois o embelezou e com esplendor, dotou-o de três imagens e várias alfaias (68); das suas duas torres, uma edificou-a desde os alicerces, e outra, acabou (69), dotando-as de dois sinos novos e um relógio; o povo desta freguesia, em agradecimento à mesma sr.ª por tudo isto, colocou aqui este monumento aos 7 de Julho de 1880 (70)." Nas notas pode ler-se o seguinte: (67)- A igreja estava muito segura ainda. (68)- Faltam os ricos paramentos. (69)- Não edificou nenhuma mas, uma, só a acabou e lhe fez o que já disse. (70)- Nesse dia 7, as imagens, depois de benzidas na capela dessa senhora, vieram em procissão para a igreja, e também se benzeram os sinos. Seguiu-se a missa cantada a música e Te Deum e em tudo oficiou a mesma autoridade eclesiástica, Dr. António Ferreira Miranda, que tanto tinha de sábio como de ilustrado; depois do que ela (a senhora) ofereceu lauto jantar às pessoas das suas relações e a todo o clérigo que tinha concorrido à igreja, para a qual tinha mandado convidar a todos das freguesias circunvizinhas. À noite houve variadíssimo fogo preso e música."

    Mas D. Júlia Crespo teve ainda um papel importante noutra construção de carácter religioso - a igreja e convento da Portela, em Leiria. Lê-se também, transcrito, no livro de Luís Lourenço: "Com desvelada consideração pelos Franciscanos, presentes em Leiria desde as primeiras décadas do século XIII, vendo as precárias condições em que viviam na cidade e se achava, já então, a Igreja e respectivo antigo Convento, adquiriu o terreno, onde, à Portela, os invasores franceses haviam causado horrível mortandade entre os rapazes e homens da cidade que os enfrentaram no ano de 1808. // D. Júlia das Dores da Silva Crespo adquiriu-o e, sobre ele, fez erguer o actual convento e Igreja, numa colaboração valiosíssima, iniciando-se os caboucos em 17 de Novembro de 1902 e lançando-se a primeira pedra no dia 26 de Fevereiro do ano seguinte. // Não se concluiu, então toda a obra, porque os Franciscanos foram expulsos de Portugal em 1910, com a implantação da República. A morte desta benfeitora impediu, temos ouvido dizer, a construção da torre frontal, mas o lindo e artístico tecto, em madeira de riga, único no nosso país, assinala ainda a sua generosidade entre nós, sem a qual os Franciscanos talvez não tivessem podido regressar ao meio leiriense para continuarem a sua prestimosa actividade (…)"
    Note-se que, no portão de ferro forjado que dá acesso à igreja da Portela, se encontra o monograma JC, que nem toda a gente identifica, julgando talvez que se trata de uma alusão a Jesus Cristo. Na verdade, ele significa "Júlia Crespo" e regista a acção beneficente de uma senhora que, não tendo chegado à República nem à restauração do Bispado, deixou para os vindouros pelo menos duas obras de vulto, em Regueira de Pontes e em Leiria, que deixaram o Bispado e os seus fregueses mais ricos em termos patrimoniais.
  • Nascimento: 21 Novembro 1827; Caldas da Rainha, Caldas da Rainha
  • Baptism: 28 Novembro 1827; Caldas da Rainha, Caldas da Rainha
  • Nota: 1835; por ter morrido o seu pai ficou entregue aos cuidados das suas duas tias Ana Joaquina e maria Inácia. (consequentemente está errado o que afirma Gil Martins, m 1992 no Jornal de Leiria))
  • Falecimento: 7 Janeiro 1910; Regueira de Pontes, Regueira de Pontes, Leiria
o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Luisa Henriqueta Crespo

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"

Cap. de fragata Lúcio Albino Pereira Crespo

o responsável por este sítio agradece quaisquer outras indicações sobre este indivíduo que podem ser enviadas para o nome referido no "pé de página"